23 de abr de 2013

Coisas da Roça - Vargem do Amargoso

 Sua dimensão funde ao espaço


O complemento da alma derrete-se em vontades plenas


 A dimensão é um dever sublime e escorre na simplicidade


Há como perceber o irremediável


 Consumir todo estoque de fantasias: sorridente e completo


 Não está longe e chega a carregar um colossal


 Chega ao infinito e lambuza a cara sem receio


 Envolve e preenche os passos


 Faz parte de um sentido


 Transborda do universo e para o universo


 Completa, cria e constrói


 Completa, cria e salva


 Explode, acaricia e cerca


 Depois banha-se no amor


 Banha-se na dimensão conquistada


 Na dimensão completada, pura e radiante


 Canaliza as infusões e corações


 Cria alternativas de conquistas


 Cerca-se de proteção


 Propõe formas de vida


 Está em todos os pontos essenciais


 Levanta, leva e envolve


 Converge a alma abissal


 Guarda pelo olhar da natureza



 Surge de outras perspectivas


 E de perspectivas outras


 Seduz a desviar o olhar


 Seduz a sublimar ainda mais os olhos


 Seduz por si só


 Mesmo que as vezes maltratada...


 Ressurge grata e sólida


 Vê apenas


 Passeia apenas


 Verifica outrora


 Saboreia o redor


 Unge de união


 Leva a expressão ao exímio limite


 Porém o espaço e simples


 O espaço é simplório


 Permite imaginar


 Possui portas destravadas e que permite a luz



 Janelas acolhedoras


 Moradores inusitados...


 Não menos harmônico


 É sempre surpreendente...


 Em outros cantos o banho matinal é o presente


 O pudor pode até fica ausente


 O fazer matinal é frequente


 A decoração complementa


 A decoração se assenta


 A decoração se apresenta


 E tudo guarda, tudo caminha, tudo percorre...


E misturado a tudo existe calorosos abraços!


Fotos tiradas com um dispositivo móvel (vulgo celular, ou smartphone, como queiram) de um recanto familiar que permite o "eu em nós"... Um olhar de onde venho, vou e irei para me energizar. Sítio Vargem do Amargoso. Arquivo pessoal.